19 mini-pesadelos que tornam o ônibus uma sucursal do inferno

1. Esquecer o fone de ouvido num dia que tem o maior trânsito da cidade.

Esquecer o fone de ouvido num dia que tem o maior trânsito da cidade.

E você é obrigado a ficar ali observando a paisagem parada por horas intermináveis.

2. A maior alegria que se tem ao andar de ônibus é conseguir um lugar para se sentar.

A maior alegria que se tem ao andar de ônibus é conseguir um lugar para se sentar.

Já que é pra sofrer, que seja pelo menos confortável.

3. Ruim mesmo é quando o único lugar disponível para sentar é ao lado do sol.

Ruim mesmo é quando o único lugar disponível para sentar é ao lado do sol.

Não dá para ficar à vontade.

4. Quando você finalmente arruma um lugar adequado para sentar, outra pessoa resolve cochilar no seu ombro.

Quando você finalmente arruma um lugar adequado para sentar, outra pessoa resolve cochilar no seu ombro.

Você dá ombradinhas ou segue no constrangimento?

5. E quando o único lugar disponível no coletivo inteiro é ninho de barata ou outro tipo de inseto?

E quando o único lugar disponível no coletivo inteiro é ninho de barata ou outro tipo de inseto?

Se for bicho é muito melhor do que vômito.

6. Quando você tem que soltar pigarros, fazer ruídos mais altos e chamar a atenção para tentar acordar o cobrador.

Quando você tem que soltar pigarros, fazer ruídos mais altos e chamar a atenção para tentar acordar o cobrador.

Você só quer passar na roleta.

7. Ou quando você se depara com o desespero de estar sem dinheiro para pagar a passagem.

Ou quando você se depara com o desespero de estar sem dinheiro para pagar a passagem.

“Posso passar por baixo ou descer pela frente?”

8. E quando você dá uma nota de R$ 20 e o cobrador não tem troco para te devolver.

E quando você dá uma nota de R$ 20 e o cobrador não tem troco para te devolver.

Aí você fica com duas opções: ficar plantado na frente até alguém conseguir dar troco pra ele ou implorar para descer pela frente.

9. Quando você tem de esperar mais de 40 minutos para pegar o seu ônibus.

Quando você tem de esperar mais de 40 minutos para pegar o seu ônibus.

São intermináveis minutos de vida perdidos.

10. E quando seu ônibus finalmente chega, você torce para conseguir entrar.

E quando seu ônibus finalmente chega, você torce para conseguir entrar.

“Calma que todo mundo vai entrar”

11. Em horários específicos, o que você nunca vai ter é conforto.

Em horários específicos, o que você nunca vai ter é conforto.

“Um passinho pra trás por favor???”

12. O drama das pessoas que apertam o botão e são ignoradas pelos motoristas.

O drama das pessoas que apertam o botão e são ignoradas pelos motoristas.

E então você está lá, na calma do seu dia… quando um grito desesperado ecoa do fundo da alma lá da parte de trás do ônibus: “VAI DESCEEEEEER”

13. Ou quando você quer descer e tem alguém estacionado bem na porta.

Ou quando você quer descer e tem alguém estacionado bem na porta.

Ok, não vamos julgar, pois todo mundo já fez isso.

14. Sofrimento eterno em dias de calor e você tem de pegar um ônibus que vai cruzar a cidade.

Sofrimento eterno em dias de calor e você tem de pegar um ônibus que vai cruzar a cidade.

Nessas horas nunca passa um daqueles com ar-condicionado né?

15. Quando você está atrasado e alguém simplesmente demora para embarcar ou descer do bendito ônibus.

Quando você está atrasado e alguém simplesmente demora para embarcar ou descer do bendito ônibus.

Ou só para perguntar: “Esse ônibus passa na Lapa?”

16. Pegar ônibus em dias de chuva, quando forças ocultas obrigam as janelas a serem mantidas fechadas e consequentemente embaçadas.

Pegar ônibus em dias de chuva, quando forças ocultas obrigam as janelas a serem mantidas fechadas e consequentemente embaçadas.

Raphael Evangelista / BuzzFeed Brasil

Parece que se abrir uma frestinha vai cair chuva ácida dentro do ônibus.

17. E sempre pode piorar.

E sempre pode piorar.

Além do som alto, deviam proibir a flatulência também.

18. Quando o ônibus que você está quebra e você tem que descer e pegar outro que vem atrás.

Quando o ônibus que você está quebra e você tem que descer e pegar outro que vem atrás.

Se der o azar do que vem depois estar lotado, não interessa se você estava sentado no que quebrou.

19. Mas sem dúvida alguma, o campeão de reclamações é quando um colega seu passageiro resolve compartilhar o seu gosto musical com todo mundo.

Mas sem dúvida alguma, o campeão de reclamações é quando um colega seu passageiro resolve compartilhar o seu gosto musical com todo mundo.

Geralmente ninguém além dele mesmo aprecia a música que está tocando.

Isso já foi tema de protestos seríssimos Brasil à fora.

Isso já foi tema de protestos seríssimos Brasil à fora.

De que lado você está???

Este post foi visto antes aqui.

No tarô do busão, veja qual arcano trará sorte a você no dia de hoje

Todos os dias nós vemos pelo menos um destes personagens no nosso caminho para o trabalho, então, que tal encararmos esses encontros como algo auspicioso para a nossa rotina? Veja o que cada arcano do busão pode te trazer de bom:

1. A mercadora incansável

A mercadora incansável

Renata Teles

Ela traz consigo pesadas sacolas repletas de alimentos, vestes, fartura em geral. Ela não quer se sentar porque vai descer em breve. Esta senhora representa a perseverança, e você deveria aprender com ela a aguentar em pé mais um pouquinho.

2. O homem-acre

O homem-acre

Renata Teles

São oito horas da manhã e o desodorante dele já está vencido. Antes de tuitar que tem um ser cheirando a bife acebolado no coletivo, pare e pense: você passou desodorante hoje? O homem fedorento está aqui para nos lembrar de nossas próprias falhas.

3. O rapaz que contava

O rapaz que contava

Renata Teles

A fila se acumula na entrada no ônibus enquanto ele conta as moedas, ciente de que não terá o suficiente para pagar pela viagem. Aprenda com este arcano a ser previdente e manter seu cartão de transporte com um troquinho a mais, sempre.

4. Os Zagueiros de porta

Os Zagueiros de porta

Renata Teles

Eles estão no seu caminho para lembrar dos obstáculos que permearão seu dia. Respire fundo e dê aquele drible certeiro!

5. O Narciso

O Narciso

Renata Teles

A pessoa à sua frente está tirando uma selfie e você ainda aparece como pano de fundo. É hora de pensar se você realmente não mereceu este clique fortuito, afinal está com um look incrível, mesmo. Agradeça ao arcano da vaidade por esta oportunidade e faça uma selfie sua, também.

6. A Falsa Grávida

A Falsa Grávida

Renata Teles

Ela estufa a barriga para se sentar no assento preferencial. Você se lembra como a desonestidade te tira do sério. É uma boa reflexão para as primeiras horas do dia, não é?

7. O Glutão

O Glutão
Renata Teles

Uma bandeja de esfihas do Habib’s perfuma o coletivo enquanto este rapaz se delicia das iguarias. Lembre-se que as coisas boas da vida custam muito pouco e estão disponíveis em cada esquina, como a lanchonete de fast-food ali. Quem sabe este não é um sinal?

Este post foi visto antes aqui.

Ir ao trabalho de transporte público é melhor para a saúde

Tomar o transporte público para chegar ao trabalho não só beneficia o meio ambiente, mas também é aparentemente melhor do que caminhar ou andar de bicicleta para reduzir o risco de doenças cardiovasculares, o sobrepeso e o diabetes – segundo um estudo japonês publicado neste domingo nos Estados Unidos.

Este estudo, apresentado na conferência anual da American Heart Association neste fim de semana em Orlando (Florida), compara pessoas que usam diariamente ônibus, trem ou ambos para ir ao trabalho e aqueles que o fazem de carro, a pé ou de bicicleta.

Eles também levaram em conta outros fatores, como idade, sexo e até mesmo o ato de fumar.

Mario Roberto Durán Ortiz/Wikimedia Commons

Mario Roberto Durán Ortiz/Wikimedia Commons

Os pesquisadores concluíram que os indivíduos que tomam transporte público reduziram em 27% o risco de hipertensão e em 34% de diabetes em comparação com os outros grupos.

Surpreendentemente, pegar o ônibus ou trem seria melhor para hipertensão e diabetes do que fazer a viagem a pé ou de bicicleta diariamente.

Segundo os autores, isso poderia ser explicado pelo fato de que as pessoas caminham mais para tomar o ônibus ou o trem indo do que os que vão para o trabalho a pé ou de bicicleta.

“Se você demorar mais de vinte minutos para chegar ao trabalho a pé ou de bicicleta, muitas pessoas tomar o transporte público ou o carro no Japão”, disse Hisako Tsuji, diretora do Centro de Serviços de Saúde Moriguchi, em Osaka.

“O público deve considerar o transporte público em vez do carro como parte de uma atividade física regular”, acrescenta.

Segundo a pesquisadora, “pode ser útil para os médicos receitar a seus pacientes uma maneira diferente de ir para o trabalho”.

Mais de 5.900 pessoas com idade entre 49 e 54 anos, em média, participaram do estudo em 2012, em Osaka.

Eles responderam a um questionário sobre sua atividade física e como eles estavam indo para o trabalho.

A maioria dos que recorreram ao carro para chegar ao trabalho foram homens, enquanto mais mulheres escolheram o transporte público, caminhar ou andar de bicicleta.

No entanto, a médica Tsuji sublinha o fato de que os participantes deste estudo foram apenas japoneses limita o alcance da medida, já que a população japonesa sofre menos excesso de peso do que a norte-americana, por exemplo.

E a “atividade física poderia ser mais eficaz para reduzir a diabetes entre os japoneses que nas populações ocidentais”, aponta.

Este post foi visto antes aqui.

Figurinhas e figurões

12105914_795763890545593_1957652392481311128_nEste é o Silvio, motorista de ônibus, que deu um ótimo exemplo de profissional e cidadania. Confira a história que a Gilcinea compartilhou:

“Hoje por volta das 19:30hs, peguei um ônibus, na rua do Imperador (Tatuapé -Belém ) 25062 pra ir trabalhar na Transitória. Chovia à cântaros e na rua Araritaguaba, um casal de idosos deu sinal. O motorista disse a eles q esperasse, encostou o ônibus na guia, desceu do ônibus e ajudou o casal a subir e os colocou sentados e só aí partiu. No ponto q iam descer, ele fez o mesmo. Saiu do seu posto, ajudou – os a descer e voltou a dirigir. Eu nunca vi isso, nestes quarenta e tantos anos q moro aqui. Pedi licença à ele, perguntei seu nome, Silvio. Tirei sua foto e passo a vcs e peço q compartilhem. A educação, o respeito que ele trata seus passageiros, é de tirar o chapéu. Ele merece o nosso carinho. Parabéns Silvio, seus pais devem ter orgulho de Vc. Muita luz na sua vida. Obrigada por existir.”

Licitação de Haddad premia quem conseguir encher mais ônibus

Foto:Fabio Arantes/SECOM

Foto:Fabio Arantes/SECOM

A proposta da gestão Fernando Haddad (PT) é que as viações de ônibus que conseguirem operar com veículos ainda mais cheios ganhem valores extras na nova licitação do transporte público paulistano, válida por até 40 anos.

E a estratégia já provoca críticas de especialistas.

Entre as mais de mil páginas do edital recém-lançado, o “índice de produtividade” surge como a única maneira das viações ampliarem recebimentos.

O pagamento será feito quando a administração municipal identificar, na operação das linhas, a entrada de mais passageiros do que essas deveriam receber, de acordo com os estudos de demanda já feitos pela São Paulo Transporte (SPTrans).

A produtividade é vista, no edital, como “a redução de custo por passageiro”.

Como o ônibus tem custo fixo para rodar, quanto mais gente no veículo, mais se rateia o custo. Segundo o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, o pagamento da produtividade só ocorrerá se as demais exigências, como cumprimento das partidas, forem cumpridas.

“Se você está prestando um serviço de excelência e consegue aumentar o número de usuários sem baixar a qualidade do serviço, você será recompensado por isso”, argumenta. “E essa produtividade será partilhada: parte para o empresário, outra parte para o poder público.”

“Vou exagerar para explicar: hipoteticamente, vamos supor que o operador coloque uma pessoa tocando um violino dentro do ônibus. Não precisa, não está no contrato”, compara o secretário.

“Mas vamos supor que ele faça isso um dia, dois, três dias e, no fim, aumente em 5% o número de usuários. Isso significa que ele aumentou a produtividade e conseguiu um lucro maior. É um exagero falando do violino, mas pode ser um motorista legal, alguém que as pessoas gostem”, diz Tatto.

O valor que seria possível obter enchendo os ônibus é difícil de calcular. Para tentar reduzir ganhos de empresários e forçar melhorias, a Prefeitura montou na licitação uma complexa equação (com seis variáveis, cada uma com até oito itens).

Em linhas gerais, sem o pagamento extra, segundo a Prefeitura, metade da remuneração às empresas será feita com base no número de passageiros transportados, 25% de acordo com cumprimento das viagens, 10% pelo cumprimento da oferta exigida de veículos e 15% como remuneração dos investimentos em ônibus e equipamentos, o chamado custo de capital.

Hoje a remuneração é só por passageiro transportado.

Considerando essa nova fórmula, além do cumprimento integral do contrato, o pagamento extra também estará condicionado à avanço da SPTrans de que o aumento do número de passageiros não está ligado a aumentos naturais de demanda que ocorrem segundo a dinâmica da cidade – como a inauguração de uma faculdade.

“Se aumenta a demanda em determinado local, primeiramente o operador tem obrigação de atender a essa demanda, nas mesmas condições das outras linhas”, observa o secretário.

Lotação

O professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) Mauro Zilbovicius não partilha dessa visão otimista. Ao analisar o edital, o engenheiro afirma que o conceito de produtividade deve induzir as empresas a tentar rodar com mais passageiros e com o mesmo custo total.

“Isso pode estimular as empresas a lotarem os veículos, e não a adotar outros elementos que podem trazer ganhos de produtividade, como melhor treinamento de operadores e otimização de peças e combustíveis”, afirma.

O conceito de produtividade, para ele, deveria estar relacionado não a transportar mais gente, mas sim a rodar mais quilômetros – e assim aumentar a oferta de viagens – com o mesmo custo. “Poderíamos ter mais corredores exclusivos, veículos elétricos, corredores com sinalização inteligente para prioridade ao ônibus, entre outras ações”, diz Zilbovicius.

Já os empresários do setor de transportes afirmam não esperar que o bônus de produtividade tenha grande impacto sobre a remuneração. Um dos interessados em participar da licitação afirma que “dificilmente as linhas terão margem para atrair mais gente do que a SPTrans prevê”.

“É capaz de acontecer o contrário: na zona sul, por exemplo, quando a Linha 5-Lilás do Metrô começar a funcionar totalmente, é provável que os ônibus percam passageiros”, afirma. “Além disso, a taxa de retorno que está sendo oferecida na licitação (9,97%) dificilmente seria alterada por causa de uma produtividade extra, que ainda por cima seria dividida com a SPTrans.”

Este post foi visto antes aqui.

16 caras que todo paulistano já fez – Destaque para a 15º

1. Quando dizem que você tem sotaque.

Quando dizem que você tem sotaque.

“MEEEU, COMO ASSIM, CÊ TÁ ME ZUEEEINDUUU??”

2. Quando você passa pela marginal Pinheiros ou pela marginal Tietê.

Quando você passa pela marginal Pinheiros ou pela marginal Tietê.

OLOCO, MEU, SENTE ESSA CATINGA!!!

3. Quando você pensa na fila que vai ter que pegar pra ver a exposição do momento.

Quando você pensa na fila que vai ter que pegar pra ver a exposição do momento.

4. Quando você percebe que vai ter que esperar uma hora e meia pra… comer hambúrguer.

Quando você percebe que vai ter que esperar uma hora e meia pra... comer hambúrguer.

SÓ R$ 35 O X-BÚRGUER SIMPLES!!!

5. Quando vem alguém de fora que quer conhecer a 25 de Março com você.

Quando vem alguém de fora que quer conhecer a 25 de Março com você.

“Deixa eu te explicar uma coisa…”

6. Quando o taxista não sabe onde fica a avenida Brasil.

Quando o taxista não sabe onde fica a avenida Brasil.

7. Quando você ouve as palavras “tem que pegar a Rebouças”.

Quando você ouve as palavras "tem que pegar a Rebouças".

8. Quando chove e você tá em Perdizes.

Quando chove e você tá em Perdizes.

Terra da “”“”garoa”“”“.

9. Quando você tem que ir do Itaim Paulista ao Morumbi. Ou de Pirituba a Interlagos.

Quando você tem que ir do Itaim Paulista ao Morumbi. Ou de Pirituba a Interlagos.

Só quatro horinhas.

10. Quando dizem que tem pizza melhor em alguma outra cidade.

Quando dizem que tem pizza melhor em alguma outra cidade.

QUALQUER OUTRA CIDADE. Inclusive na Itália.

11. Quando você pensa que o seu voo é em Guarulhos, mas é em Congonhas.

Quando você pensa que o seu voo é em Guarulhos, mas é em Congonhas.

E vice-versa, dependendo de onde você tá.

12. Quando você vai conferir como tá o trânsito da saída do feriado.

Quando você vai conferir como tá o trânsito da saída do feriado.

Rsrsrs. 900 quilômetros de congestionamento. Rsrsrs.

13. Quando você chega à rodoviária do Tietê na segunda-feira de manhã e percebe que seu bilhete único tá sem crédito.

Quando você chega à rodoviária do Tietê na segunda-feira de manhã e percebe que seu bilhete único tá sem crédito.

FILA DE MIL HORAS.

14. Quando você deixa pra fazer as compras de Natal no shopping no dia 23 de dezembro.

Quando você deixa pra fazer as compras de Natal no shopping no dia 23 de dezembro.

Marcello Casal Jr / Via portalmetropole.com

“VOCÊ NÃO QUER DAR UMA VOLTINHA NO INFERNO?!?!?”

15. Quando tem gente parada na escada rolante à esquerda.

Quando tem gente parada na escada rolante à esquerda.

QUAL PARTE DE “DEIXE A ESQUERDA LIVRE” VOCÊ NÃO ENTENDEU?!?!

16. E quando você lembra que é dia de comer pastel na feira.

E quando você lembra que é dia de comer pastel na feira.
TV Cultura

MELHOR DIA!!!

Este conteúdo foi visto antes aqui.